ARTIGOS E NOTÍCIAS

Twitter
Facebook
Email

ENTREGA DO PRÊMIO RESPONSABILIDADE PÚBLICA 2013 À DRA. ANGELA TENÓRIO
10/12/2013

“É vergonhoso ver o povo mendigando por atendimentos e os hospitais não poderem oferecer o que manda a Constituição Federal”

ENTREGA DO PRÊMIO RESPONSABILIDADE PÚBLICA 2013
“É vergonhoso ver o povo mendigando por atendimentos e os hospitais não poderem oferecer o que manda a Constituição Federal”

A médica Angela Maria Tenório Albuquerque recebeu o Prêmio Responsabilidade Pública 2013 em solenidade realizada em 27 de novembro. A premiação foi em reconhecimento e homenagem à Dra. Angela por sua corajosa declaração pública, no ano passado, denunciando, em rede de televisão, a precária situação de atendimento do Hospital Rocha Faria, em Campo Grande, no Rio de Janeiro.

Em seu pronunciamento ao receber o Prêmio, a Dra. Angela lembrou que a saúde é um direito constitucional de todos os brasileiros, que não é cumprido pelo poder público: “É vergonhoso ver o povo mendigando por atendimentos e os hospitais não poderem oferecer o que manda a Constituição Federal”, disse.

O Prêmio é conferido pela Sociedade pela Responsabilidade Pública a servidores exemplares, que se destacam no cumprimento de suas funções, notadamente por enfrentar a corrupção, o corporativismo e os privilégios, que prejudicam os serviços públicos, penalizando a população. Em 2012, foi agraciada a Ministra Eliana Calmon, por sua atuação no CNJ – Conselho Nacional de Justiça.

ÍNTEGRA DO PRONUNCIAMENTO DA DRA. ANGELA TENÓRIO:

Quero expressar os meus agradecimentos, em especial à Sociedade Pela Responsabilidade Pública, aqui representada pelo seu presidente, Dr. Francisco Assis Chagas de Melo e Silva e seus diretores. Sociedade essa direcionada aos interesses da população, nos dando um verdadeiro exemplo de cidadania. Sinto-me muito honrada em receber essa homenagem

A medicina é minha vida, o ar que respiro. Mesmo estando cada dia mais machucada, revoltada e cansada de lutar contra esse sistema imoral e governantes impostores, eu ainda acredito na medicina e em um sistema de saúde público sem distinções de raça, credo ou religião.

Nesses últimos meses de protestos nas ruas e nas mídias, das quais fiz parte, brigamos por um país melhor, menos corrupto, mais transparente, menos populista e com uma saúde de qualidade. Brigamos por um país com hospitais melhores, mais equipados e que não sofra com a falta de medicamentos.

Meus amigos, está na Constituição Federal, em seu art. 196 – “A saúde é um direito de todos e dever do Estado...”.

Há tempos eu comento um retrato nacional do SUS, desolador, revoltante... Em nada compatível com o nosso país.

Sistema único de saúde que envolve a União, estados e municípios consorciados, e trata as pessoas de forma desumana, com descaso.

Um povo sem atendimento público de saúde confiável, que não tem como bancar os planos de saúde privados – fonte de desconfiança – desce para o nível da miséria, ferindo os direitos humanos. Essa é a realidade brasileira.

Estamos passando por um período muito difícil no que diz respeito à saúde brasileira. E o Rio de Janeiro, pasmem, aparece no cenário nacional como a pior capital em termos de atendimento à população, isso segundo dados divulgados pelo Índice de Desempenho do Sistema Único de Saúde.

Algumas entidades como a Associação Médica Brasileira e a Ordem dos Advogados do Brasil, lançaram a campanha “Por Mais Recursos Para A Saúde”. Foram colhidas assinaturas para a apresentação de um projeto de iniciativa popular no Congresso Nacional para que o Governo invista pelo menos 10... 10% da receita bruta na saúde. Entretanto, nada foi votado e, claro, nem será. Não deve haver interesse.

A verdade é que chegamos a um ponto em que a saúde pública no Brasil necessita, com muita urgência, de mais atenção dos órgãos públicos. A realidade nos mostra um país desestabilizado onde as políticas públicas são incoerentes e desrespeitam a sociedade.

É vergonhoso ver o povo mendigando por atendimentos e os hospitais não poderem oferecer o que manda a Constituição Federal.
Merecemos uma saúde de primeira, digna de alimentar as esperanças de um povo sofredor.

O Sistema Único de Saúde precisa urgentemente ser reformulado, porque a saúde brasileira está zerada, os pacientes estão à míngua, estão morrendo.

Eu lamento ser obrigada a expor essa realidade numa nação tão rica e abençoada.

Nada fiz para merecer esta homenagem, além de reconhecer o sofrimento daqueles que procuram o alívio de suas dores.

SOLENIDADE

A entrega do Prêmio Responsabilidade Pública de 2013 à Dra. Angela Tenório foi realizada em Assembleia Geral Extraordinária da SRP. A mesa foi composta pelo presidente da entidade, os diretores de comunicação e jurídico e a homenageada. A Dra. Angela foi saudada pelos componentes da mesa - presidente Francisco de Assis Chagas de Mello e Souza, diretor Altamir Tojal e diretor Guilherme Brechbuhler - e recebeu das mãos da Sra. Maria do Carmo, que representava a sua mãe, uma placa alusiva ao evento; o diploma foi entregue pela conselheira fiscal Elyethe Marinho; e das mãos do diretor administrativo da SRP, Mario Assis Causanilhas Rodrigues, a medalha. A cerimônia foi realizada na sede do Bridge Clube do Rio de Janeiro.

REPORTAGEM

O evento teve a participação de associados da SRP e convidados e cobertura de imprensa. A Dra. Ângela homenageou a Rede Record de Televisão, que transmitiu a sua denúncia e o seu desabafo para todo o país, o qual foi veiculado amplamente nas redes sociais e se tornou um marco na luta contra a falência do sistema público de saúde no Brasil. O link a seguir leva à reportagem do joranlista Dennes Queiroz, da Rede Record, sobre a entrega do Prêmio, com entrevistas da Dra. Angela Tenório e dos diretores da SRP Guilherme Brechbühler e Altamir Tojal.

http://videos.r7.com/medica-que-denunciou-caos-na-saude-publica-do-rio-e-homenageada/idmedia/5297275e0cf2768425a53045.html
 

Comente

Restam 1000 caracteres.

Digite os caracteres da imagem no campo abaixo